Todo mundo belisca, mas Temer reserva ao PMDB o maior pedaço do bolo